Ordem da Confraria Elementar Primeira do Brasil

Fundamentos mágicos no umbanda 1

 magia  existe  em  todas  as  religiões,  comentários  sobre  a magia no catolicismo ou no espiritismo, ou no budismo será um desafio agradável  de  fazer  e  necessário para os leitores. Hoje tratarei sobre o que denominarei de magia branca no Umbanda, cuja aceitação pode   ser  comprometida  por  interpretações  equivocadas  de  alguns  autores  como  afirmou   recentemente  Rubens  Sarraceni,  em programa  na  mídia, de que a Umbanda (religião) tinha como finalidade a caridade, escutei afirmações semelhantes quando participava de  programas  de  rádio  patrocinados  pela  Federação  de  Umbanda  de  Caxias  do  Sul, liderado  por  Saul  de  Ogum, cuja iniciativa é extremamente  saudável, mas  nunca  pude  expressar as opiniões conforme a necessidade dos leitores. Os assuntos polêmicos exigiam uma profundidade que somente pode ser atingida ao remetermos os leitores à progressiva reflexão, uma construção de conhecimentos e não opiniões.  Falar  que  a  Umbanda  se  presta  à caridade é um absurdo e uma confusão que se esclarece se os leitores/estudantes remeterem ao  século  XIX,  durante  as  crises  europeias  resultantes  da revolução industrial. Nela, milhões de indivíduos evadidos do campo  que  buscaram  trabalho  e  sobrevivência  na  cidade,  com  o  advento   da   engenharia  mecânica  e das máquinas, terminaram formando  contingentes  d e miseráveis, notadamente  na  Inglaterra,  mas  é  um fenômeno europeu que se estenderá pelo mundo nas décadas seguintes, originando inclusive a libertação dos escravos no Brasil.

Continue lendo

Fundamentos mágicos no umbanda 2 

Transcrevemos  a  mensagem  trazida   em   trabalhos   internos  do "CEUE", em 02 de Setembro de 1989, antes da criação da Ordem da Confraria  e  foram  manifestações  como  estas  que  nos  fizeram  revisar  todo conhecimento existente e a prática do espiritismo e o desenvolvimento  da  mediunidade.  Pela  qualidade  das  afirmações  e  atualidade  de  sua  compreensão  as publicamos. O trabalho era interno, a manifestação de um preto-velho:

O  problema  da  consulta  filhos  é  que  os  guias  transmitem por vibração e irradiação, os pacientes já estão sendo atendidos em suas necessidades  internas  e  não  naquilo que pensam, não é necessária a consulta (a palavra escrita ou falada) a não ser para transmitir o que foi feito, para que o atendido saiba o que fazer depois, mas o mais importante é o posicionamento da mente. Temos de aprender a usar nossas próprias mentes, é em nossas vidas que têm de haver mudanças. Pedirmos  força  e  esclarecimentos para nossas decisões, pedirmos  aos  protetores e guias para trazerem a nós o objetivo de nossas vidas, o esclarecimento para qual razão termos nascido. Ao sabermos o porquê desaparece o medo, o caminho é suavizado. A preparação do espírito é uma preparação para o dia de amanhã, vocês vão trabalhar para o após vida, isto é maravilhoso, o espírito é o mesmo, a vida é  esta continuação. O corpo é uma embalagem, quando fica  desgastado,  ele  é  descartado  e  é  dada  outra  embalagem  nova,  a única  coisa  que   levam  para   outra  vida  é   o  que  estão aprendendo  (desenvolvendo)  o  que vale é a pureza, a sinceridade do trabalho, o desprendimento da pessoa que se dispõe a entrar (no desenvolvimento). Quando entrar estar concisa de seus atos, determinada e aí vence em qualquer casa em que se trabalhe para o bem. O trabalho que vocês realizam não é uma página que se vira, o trabalho espiritual é a própria página.

Continue lendo

Fundamentos mágicos no umbanda 3        

No ano de 2008,  durante  o   curso de verão que são aulas especiais, resumos e sínteses dos fundamentos que professamos, o tema da primeira reflexão foi o Umbanda, o espiritismo de Umbanda, a Umbanda, a religião de Umbanda é outro assunto, e uma outra reflexão. Mas remontemos aquela aula pela importância para quem pretende compreender nossa linha de orientação.

Raramente paramos para refletir na profundidade e no significado das manifestações, uma atitude simples como indagar onde é que os espíritos existem, ou se os santos  das  igrejas  atuam,  isso significa que eles existem em algum lugar, e que lugar é esse? E se podem atuar  sobre  nós  quando  invocados, há  outros que atuam por serem atraídos, como ocorre essa ligação entre os planos dimensionais, dos "vivos, densos, materiais" e dos "sutis e espirituais", é  isso  o  mundo dos espíritos  e da magia que nos falavam as mitologias e as lendas? Como  é  possível  que  um  médium  tenha  incorporado  um  ser, que o possui total e parcialmente e não queira saber de que é feito, o que significa, o que representa, a que verdades conduz.

Continue lendo


Cruzamentos, obrigações e firmações no umbanda 1

Há  vários  impedimentos  para  aqueles  que   pretendem entender o espiritismo, notadamente o de Umbanda, contribuindo para isso a falta  de  informações melhores sobre a magia existente e o medo da própria palavra, pois bem, há uma magia conhecida e outra oculta em  quase  todas  as  religiões.  A magia quer dizer de alguma forma as energias e os seres que são colocados em movimento por algum ritual  ou  prática.  Assim uma oração é um ato de magia e o alcance do ato mágico está em quem responde, as energias e os efeitos no próprio   individuo   ou   naqueles   onde   focaliza   sua  atenção.  Na  magia  prática  do  umbanda  podemos  falar  dos  cruzamentos  e obrigações,  os  cruzamentos  incidem  sobre  os corpos dos participantes e fazem uma ligação com os seres, espíritos e entidades, nas obrigações,  principalmente  as  de agradecimento, os beneficiários principais são as próprias entidades, seus reinos e os seres e forças que são capazes de colocar em movimento. O reconhecimento do médium as torna mais fortes e potentes. Existem ainda as obrigações de fortalecimento, de  reforço,  feitas com o fim de aproximar as entidades, e os espíritos que compõe sua manifestação em benefício de  uma  necessidade,  em  gera l física,  do  médium.  Preferimos  aceitar  as  obrigações de fortalecimento como uma aproximação do médium  com  as  entidades  dos  reinos  aos  quais naturalmente todo o gênero humano está ligado e desta forma beneficiando física e emocionalmente  o  atendido.  O  cruzamento  pode  visar o fortalecimento dos corpos internos se esse conhecimento existir no grupo, mas esse fortalecimento sempre ocorre, será facilitado se houver o esclarecimento no praticante. 

Continue lendo