Ordem da Confraria Elementar Primeira do Brasil

As primeiras experiências

Os médiuns sempre estiveram ligados às religiões. 

Em organizações religiosas percebemos médiuns confusos com as atitudes a tomar em cada situação e com as próprias entidades. 

Os fenômenos mediúnicos não são exclusivos de uma pessoa, podem ser compartilhados por outro sensitivo e até por um grupo, o  que pode ser resumido na afirmação que qualquer condição pode ser transferida de um sensitivo para outro. 

Os fenômenos mediúnicos ocorrem através de sensações no próprio corpo do médium ou em sua sensibilidade:

- Sensações físicas, podem ser dores e contrações musculares, podem sentir o que outra pessoa sente ou sentiu em algum momento;

- Estados emocionais, total ou parcialmente, como pânico, medo, alegria, prazer, ódio, amor, e outros que são em t udo  iguais àqueles vividos por uma pessoa, num momento e até época de vida;

- Pressentimentos, sonhos, sentir-se em outro local ou outra pessoa, sentir-se em outra época ou, ainda, sentir-se fora do corpo. 

A aura  não  é uma única realidade. Existem auras, conforme a percepção que se tenha e o que se observa: a condição física, a saúde, a condição emocional e os tipos de sentimentos, ou os tipos de idéias e pensamentos. A aura tem origem nos corpos ativos do indivíduo. 

O homem  é  constituído por organizações definidas e interdependentes, cada uma com um sistema energético de sustentação e sendo por sua vez sustentação de outro que denominamos de corpos: 

  1. o físico e seus sistemas; 
  2. o etérico, seus plexos e sistemas; 
  3. o emocional e sentimental com suas energias e entidades; 
  4. o intelectual, com as filosofias de vida; 
  5. o astral com os plexos ativos ou bloqueados e as entidades; 
  6. o corpo mental formado hoje pelas intenções e planos de vida. 

Há  o s aspectos  ainda mais sutis e apenas mencionáveis: o corpo da vontade, atualmente a capacidade de ter vontade própria; o corpo da consciência, que é a  percepção  que  um  indivíduo  pode  ter  de  si mesmo e de quem é na relação com os seres e planos e o último aspecto é a distância da alma. 

Quatro  são  os  corpos  básicos:  o  físico, o etérico, o emocional e o intelectual comum a todo o ser vivo e se desenvolvendo em todo o organismo vivo. Todo  o  ser  existente responde  às  projeções  de  algum  dos  quatro  corpos,  isso  é  a  base  da magia e do ritual, do espiritismo e da religião. 

Os quatro corpos possuem uma realidade no astral e embora cada corpo possua sua forma específica eles formam uma realidade que se denomina espírito. 

Esses quatro corpos podem ou não conter em si mesmos, ou até mesmo não estar conectados, ao que chamamos de alma, cujos corpos são o astral, o mental, a vontade e a consciência. 

As doenças que podem ser identificadas, na sua formação, como correntes de energia alterada, com cor correspondente, escapando do corpo, ou  excessivamente  concentrada  ou  pelo  desequilíbrio  de  um  corpo  com  relação a outro no mesmo indivíduo. Aí ocorre uma concentração desproporcional de energia e alterações perceptíveis por médiuns e sensitivos. 

Há seres  em  todos os níveis e planos, pois cada corpo corresponde a um subnível dimensional ou aspecto da energia, muitas ainda não conhecidas dos cientistas, mas que percebemos e com elas lidamos todo o tempo. 

Os espíritos existem, são  as  formas  astrais de tudo o que existe na natureza ou quando a consciência, desprendida do corpo físico ou do ser físico,  se  transfere  apenas  para  as  formas  astrais. É  o  que  ocorre  com grande parte dos mortos, mas pode ficar presa nas condições físicas, emocionais e até nos acontecimentos que geraram a morte. 

Tudo pode ser percebido por médiuns ou pode ser transferido para os corpos dos médiuns e de alguma forma ser identificado. 

A maior  parte  das  informações  aqui  divulgadas  tem  sua  teoria e exemplificação no livro "Teoria e Prática da Mediunidade" de nível básico, editado pelo autor e que pode ser obtido através dos endereços eletrônicos.

Voltar